Vagões de trem autônomos e inteligentes

por iw_azeheb 04 ago

Há 26 anos, no filme ‘’De volta para o futuro’’, os dias atuais eram vistos como muito futurísticos e uma das previsões do filme era que “Para onde vamos não precisamos de estradas”, essa não foi muita previsão certeira, mas um novo modelo de trem está vindo para revolucionar nossos meios de transporte. São os vagões de tem autônomos e inteligentes.

O objetivo do projeto NGT – Next Generation Train, ou trens da próxima geração – é projetar não somente um sistema ferroviário de cargas completo, incluindo vagões e locomotivas, mas também os sistemas de carregamento e descarregamento e toda a logística envolvendo a operação do sistema.

Como os vagões autônomos e inteligentes funcionam

O vagão funcionaria como um ‘’contêiner ambulante’’, sendo carregado ou descarregado em uma fábrica ou armazém onde se juntaria a composição que a levaria ao seu destino. Até completar sua rota, a viagem pode seguir algumas etapas, com possibilidade de um vagão especifico embarcar ou desembarcar das composições, ou se juntar a outros e construir composições novas. Cada vagão terá seu sistema de propulsão elétrica autônoma, não sendo necessário nenhuma intervenção humana.

Trens aerodinâmicos

Nesse momento a intenção dos projetistas é que as linhas principais de carga tenham comboios viajando em até 400 km/h nas linhas principais e entre 160 e 200 km/h nas linhas atuais. No sistema atual, a necessidade de parar os comboios para acoplar e desacoplar vagões responde por algo entre 30 e 40% do custo do frete, tendo uma velocidade média de somente 18 km/h da origem até seu destino.

Ao contrário dos vagões atuais, os vagões de trem autônomos e inteligentes serão fechados e recobertos aerodinamicamente. E não haverá lacunas entre os vagões individuais, reduzindo a resistência do vento e gerando menos ruído.

Além da Europa

Os engenheiros alemães já estão pensando além da Europa, com projetos de implementar o projeto na Nova Rota as Seda, que está sendo implantada pela China e integra países da Ásia, Europa e África.

O sistema está sendo preparado para ser compatível com os trens de passageiros e pensa que um cenário de aplicação interessante seria o tráfego intercontinental de mercadorias entre Europa e Ásia, já que transportam contêineres muito grandes, que tem longas rotas marítimas e pouca flexibilidade em termo de volume de mercadorias.

Gostou desse post sobre o trem do futuro? Continue lendo o blog e acompanhe de perto o mundo da ciência 🙂

Deixe seu comentário :

Comentários

  1. waldir cavalcanti hormann disse:

    Estamos muito próximos de grandes revoluções tecnológicas, o mundo tem mudado rapidamente e essa é mais uma que vai acontecer!

Deixe um comentário