Conheça STEVE: Um novo tipo de aurora boreal

por iw_azeheb 04 maio

É muito difícil encontrar uma pessoa que não seja fascinada pelo fenômeno da aurora boreal.

As auroras boreais são realmente encantadoras aos olhos humanos, a despertam interesse até mesmo nas pessoas que são mais indiferentes à paisagens da natureza.

Ao pintar o céu com várias cores incríveis, a aurora boreal faz com admiremos ainda mais a beleza única desse fenômeno natural.

Caçadores de Auroras Boreais

A maioria das pessoas não sabe, mas existem pessoas que se dedicam a encontrar auroras boreais pelo mundo. Essas pessoas tratam a sua busca como uma verdadeira caça, e se autodenominam caçadores de auroras boreais.

Um grupo de caçadores amadores de Calgary, cidade que conta com mais de um milhão de habitantes do Canadá, em uma de suas expedições, descobriram uma nova faixa roxa e muito brilhante no céu canadense.

Essa faixa roxa e brilhante estava se movendo em forma de arco quando foi avistada pelo grupo.

Eles afirmam que, apesar da experiência em observar auroras boreais em suas expedições, nunca tinham visto uma faixa daquela forma antes.

Fascinados com o que viam, batizaram a nova aurora boreal com o nome de Steve.

A formação celeste encontrada pelo grupo já foi analisada e estudada por uma equipe na NASA. A equipe da NASA conclui que realmente se tratava de uma nova e completamente diferente aurora boreal.

O nome Steve dado pelo grupo já está sendo reconhecido pela mídia para se referir à nova aurora boreal descoberta.

Essa nova aurora boreal é uma espécie de cortina bem fina que tem a luz fraca, em tons mais claros de violeta.

A aurora boreal Steve aparece de forma bastante sutil no céu, mas já foi avistada algumas vezes com um brilho bem forte em algumas noites.

Por que a nova aurora boreal se chama Steve?

O grupo de caçadores de auroras boreais explicaram à imprensa canadense que o nome Steve foi escolhido por ser um nome fácil de falar e de ser lembrado.

Eles entendem que dar um nome mais simples para um fenômeno tão lindo e específico faz com que ele seja mais conhecido e popular para os demais admiradores de auroras boreais.

Por isso, ao invés de usar um termo científico de difícil memorização, eles optaram por Steve, em uma tentativa de popularizar a aurora boreal que descobriram.

Steve também é uma referência a uma personagem de um filme infantil lançado em 2006, “Os Sem-Floresta”. No filme, uma das personagens utiliza um método bastante peculiar para dar nome para as coisas que ela não conhece.

Assim, quando a personagem desconhece o nome de alguma coisa, ela logo lhe dá o nome de Steve.

A equipe da NASA analisou o fenômeno e permitiu que o nome oficial fosse mesmo Steve. Porém, elaboraram uma explicação mais científica para o uso desse nome.

Segundo a NASA, o Steve que dá nome à nova aurora boreal é, na verdade, um acrônimo para Strong Termal Emission Velocity Enhancement (STEVE). Fortalecimento da Velocidade de Emissão Térmica Forte (FVETF), em tradução livre para o português.

E aí, gostou de conhecer a STEVE? Já teve vontade de ver de perto a aurora boreal? Conta pra gente 🙂

Deixe seu comentário :

Comentários

  1. Ester HEUSER disse:

    Na noite de 4/10/19 vi o STEVE por mais de uma hora, cruzando o céu, como um arco íris completo, fora a fora, com um brilho extremamente intenso e fascinante. Pareceu menos raro que a aurora boreal que vinha e sumia. É realmente fascinante. A olho nu ele é branco, como um flash de fotografia, porém constante. Isso em Whitehorse, Canadá. Eu não entendi porque se caracteriza como “novo fenômeno “. Ele não esteve sempre nos céus? É novo no sentido científico de que está sendo estudado só recentemente? Obrigada

Deixe uma resposta