Brasil ocupa o 64º lugar em ranking mundial de inovação

por iw_azeheb 10 ago

Todo ano a Universidade de Cornell, localizada em Nova Iorque, divulga o ranking mundial de inovação, onde elencam os países que possuem o melhor desempenho nessa área. O índice é calculado pela Organização Mundial de Propriedade Intelectual e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A última pesquisa realizada colocou que o Brasil ocupa o 64º lugar em ranking mundial de inovação.

Para calcular o ranking mundial de inovação, que está em sua décima primeira edição, são levados em conta oitenta parâmetros que são analisados quantitativamente.

A nossa posição de sexagésimo quarto no ranking mundial de inovação não é uma colocação das mais prestigiosas, mas, levando em consideração que o Brasil subiu cinco posições de uma lista para a outra, o saldo é positivo.

O Brasil ficou em sexto lugar na região da América Latina e na décima quinta posição da lista no grupo de renda média-alta, que é o grupo no qual o nosso país se encaixa.

Outros países no ranking mundial de inovação

O país que ficou em primeiro lugar, ou seja, o país que mais tem potencial na área da inovação foi a Suíça. O país localiza-se na Europa e é uma República Federal com 26 Estados.

Seguido da Suíça, temos: Holanda, Suécia, Reino Unido, Cingapura, Estados Unidos, Finlândia, Dinamarca, Alemanha e Irlanda. A China recebeu destaque na edição de 2018, pois se classificou entre os 20 melhores países.

Na América Latina, o país que ocupa o primeiro lugar é o Chile, que está em quadragésimo sétimo lugar no ranking mundial de inovação. Em seguida, em segundo lugar, temos a Costa Rica e em terceiro o México.

Análise do Brasil no ranking mundial de inovação

Outros rankings são elaborados quando é feito o ranking mundial de inovação. Duas classes são denominadas para a pesquisa: os insumos e condições institucionais e produtos e inovações.

Os insumos e condições institucionais levam em consideração itens como índices de capital humano, pesquisas, instituições, sofisticação de mercado e negócio, infraestrutura, etc.

Nessa classe, algumas das classificações do Brasil foram as seguintes:

  • No geral ficou na 58º colocação.
  • Gastos em educação: 23º.
  • Investimento em Pesquisa e Desenvolvimento: 27º.
  • Dispêndio de empresa em P&D: 22º.
  • Qualidade das universidades: 27º.
  • Pagamentos em propriedade intelectual: 10º.
  • Importação de alta tecnologia: 23º.

Já a classe dos produtos e inovação analisa-se a área dos produtos científicos e tecnológicos e tudo agregado a eles como patentes e publicações em revistas ou publicações em periódicos acadêmicos.

Em produtos de inovação o país está em 70º na posição e no índice de eficiência da inovação o Brasil ficou em 85º no ranking mundial de inovação, ambas as posições melhoraram quando comparado com 2017.

Deixe seu comentário :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *