A Física no Futebol

por iw_azeheb 16 fev

O resultado de uma partida de futebol depende de mais do que apenas aquela meia da sorte ou a promessa feita para o santo. Quando fazer um gol, ou defende-lo, é crucial, conhecer as leis da física pode ajudar.

  • Drible

Para entender o drible é preciso entender a lei da inércia, desenvolvida por Galileu: um corpo em movimento tende a permanecer em movimento, e a Força que é resultado da massa x aceleração (F = m x a). Quanto mais leve for o jogador realizando o drible maior será a sua aceleração e mais fácil será passar pelos demais jogadores, que são maiores e mais pesados exigindo assim mais força para conseguirem se mover rapidamente para impedir o drible.

 

  • Pênalti

Realizar um pênalti com perfeição, ou defender-se de um, depende muito da velocidade e tempo de reação do jogador.

Um goleiro tem que defender, em um jogo oficial, uma área total de 17,86 m². A marca do pênalti fica localizada a 11m do gol (no ponto mais próximo). O tempo para a bola percorrer essa distância em um pênalti é, em média, menor que 0,5 segundo. E o goleiro tem entre 0,44 e 0,46 segundo para reagir a este chute. Dessa forma é quase impossível o jogador ter tempo de esperar o lance para então escolher pra que lado saltar. O goleiro precisa usar sua experiência, e um tanto de sorte, para saber para que lado a bola será chutada e saltar antecipadamente. Porém um estudo, ao analisar centenas de cobranças de pênalti realizadas em ligas europeias, constatou que a melhor estratégia é permanecer no centro do gol. Mas o tempo de reação faz com que os jogadores prefiram antecipar a jogada a se arriscar permanecendo no meio.

Existe no futebol o pênalti indefensável. Para realizar esta jogada, o cobrador do pênalti precisa acertar a bola no ângulo (difícil) a uma velocidade de 104 km/h (mais difícil ainda). Nesse ponto do gol, com esta velocidade, é impossível um goleiro mover-se a distância necessária a tempo de agarrar a bola.

  • Falta

Em uma cobrança de falta o jogador busca fazer com que a bola faça um trajeto curvo, se desviando da barreira de jogadores entre o ponto de cobrança e o gol. Voltando a lei de inércia, um objeto em movimento retilíneo uniforme tende a permanecer neste movimento. Para fazer um movimento curvo uma Força precisa interagir com o vetor velocidade da bola, neste caso a força da gravidade. Este comportamento de movimento em curva é chamado de Efeito Magnus: quando um objeto cilíndrico (a bola) gira em seu próprio eixo enquanto está em movimento o fluxo de ar é mais rápido em sua direção de giro do que na direção oposta resultando em um movimento curvo e quanto maior a distância a ser percorrida mais energia cinética se perde, e maior será o efeito curvo provocado pela força da gravidade atuando sobre a bola. Para realizar esta jogada é preciso que o cobrador chute a bola de raspão com a parte interna do pé, fazendo com que ela gire, e com força para que ela atinja a velocidade necessária para ocorrer o Efeito Magnus.

E estas são só algumas maneiras em que a física atua nas principais jogadas do futebol!

Deixe seu comentário :

Comentários

  1. keylla disse:

    Gostei do seu blog e assunto!
    Me ajudou a montar umas questões de Física!
    Obrigada!

Deixe um comentário